terça-feira, 8 de novembro de 2011

a menina, o balanço e a lua

desenho c/ nanquim, grafite e pastel seco s/ canson

Seu balanço está parado, não está balançando não.
Ela pensa: eu amo tantas coisas de uma só vez, de chorar e tudo!
Fica quietinha no balanço, refletindo.
Lá em baixo, está o planeta onde ela vive, a Terra, com uma flor. É pelo perfume da flor que ela chega à lua, e que também sente, quando é hora de voltar.
A lua, de pertinho, nem é tão bela assim, é cheia de crateras, mas ela gosta tanto dela e gosta tanto de lá, que a lua fica ainda mais linda! Mais linda que qualquer princesa encantada!
Tem estrelinhas, tem coisas penduradas no céu, que são pra ela...
Mas por que não balança feliz feito criança?
Ainda bem que colocaram meias em seus pés, porque lá faz frio, e com os pés quentinhos, a gente sempre lembra que nunca está só.
Lá, as estrelas também conversam, e elas amam os cometas que passam feito raios por suas vidas... passam, encantam e se vão... E o brilho das estrelas permanece, mesmo que elas não estejam mais lá, anos luz.
Quando chega a menina do balanço, conta para elas que o nome desse sentimento é amor e que o amor é lindo, mas faz cair faíscas dos olhos das estrelas e nos humanos escorre um riozinho que se chama lágrimas.
E a menina fica lá, conversando com as estrelas, contando e ouvindo histórias. E com isso as estrelas começam a chorar, sorrir, viver, e a menina também.
Logo, a menina sente o perfume da flor.


08 de novembro de 2011... em uma conversa com Ester

Texto: Lilian de Oliveira Goulart
Ilustração: Lilian de Oliveira Goulart

Um comentário: